Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura
Início do conteúdo

Em pauta - Como seria o "avião sem asas"

Publicação:

card sobre pauta
Em pauta - Foto: AGERGS

Projeto sobre transporte por cápsulas no Estado prevê estações em Porto Alegre, Novo Hamburgo, Gramado e Caxias do Sul.


O hyperloop, transporte por cápsulas dentro de tubos eletromagnéticos a vácuo e movido à energia solar, que permitiria o deslocamento entre Porto Alegre e Caxias do Sul em apenas 19 minutos, teve estudo de pré-viabilidade no Rio Grande do Sul apresentado no final de agosto pelos responsáveis.
O diretor-presidente da Hyperloop para a América Latina, Ricardo Penzin, diz que a meta agora é realizar reuniões com empresários interessados na execução da obra.


Penzin afirma que há grupos interessados, mas as tratativas são mantidas em sigilo e só serão divulgadas quando houver acordo firmado. Contudo, os professores da UFRGS envolvidos no estudo, Christine Nodari e Luiz Afonso Senna, dizem que a implementação também depende de autorização governamental.


Enquanto Christine ressalta que a elaboração de análise ambiental leva ao menos três anos para depois ser apresentada ao Executivo, Senna cita a realização do projeto de engenharia por onde os tubos irão passar. Segundo ele, nesse caso, como envolve municípios interligados, a licença de instalação cabe ao governo gaúcho.
- O governo não tem objeção à implementação, mas autorização e procedimentos são do Estado e ainda dependem de regramentos, como licenças ambientais e de engenharia - explica Senna.

Essa informação foi dada pela Zero Hora.

AGERGS